Páginas

Olá aqui neste espaço vou contar como foi que descobrimos que nossa filha é celíaca.
No dia 03/06/2004 nasceu minha princesa, ela sempre foi um bebê muito saudável e muito fofo, e quando digo fofo, é fofo mesmo gente, até fofo demais, rsrsr
Ela sempre foi uma bebê bem gordinha, bochechas rosadas, mas depois dos 6 anos, ela começou a perder muito peso, nós levávamos ela com frequência ao pediatra, fazíamos todos os exames de rotina e todos os resultados eram excelentes, mas ela continuava a perder peso.
Nós não conseguiamos entender porque, se todos os exames davam resultados bons, porque ela emagrecia tanto? Porque ela tinha tanta diferença de tamanho para os demais coleguinhas?
A partir dai ela começou a ficar muito ruim para comer, a sensação que nós tínhamos, é que ela tinha nojo da comida, ela não tinha prazer em se alimentar, nem mesmo guloseimas, que toda criança gosta e muitas mães tem que brigar para parar de comer, nem isso chamava a atenção dela. Claro que isso é bom, mas estamos falando de uma criança, e qual criança não gosta destas coisas?
Todos os anos os exames eram repetidos e os "bons resultados" continuavam, mas, ela continuava a perder peso.
Mas coração de mãe não se engana, não é verdade?
Eu sentia que tinha algo errado com nossa filha, por isso insistíamos com a pediatra de nossa filha, para ela dar novos exames.
E isso se estendeu até aos 9 anos...
Ela continuava perdendo peso, começou a cair no gráfico da pediatra, a altura já estava abaixo do normal e o peso também.
E em uma destas consultas de rotina, a pediatra mandou ela repetir novamente todos os exames. E foi em outubro de 2013 que a doença celíaca apareceu.
Quem conhece a doença celíaca, sabe que é uma doença genética, já nascemos com ela, mas ela não tem idade para aparecer.
Por este motivo, todas as vezes que nós fazíamos os exames não davam alterações nenhuma. Porque a doença ainda não tinha se desenvolvido. Até hoje, estudos não comprovam uma idade certa para a doença aparecer, pode ser na infância ou na idade adulta.
Quando vimos o resultado levamos um susto, afinal o resultado deu muito acima, do que já é considerado "Fortemente Positivo"
Vejam na imagem abaixo.


Com o resultado do exame nas mãos, a pediatra nos encaminhou para uma gastroenterologia pediátrica, que ao analisar os exames em mãos, encaminhou nossa filha para que fosse feita uma endoscopia (seguida de biópsia) para análise do intestino delgado.
Assim, poderíamos ter certeza do diagnóstico.
E foi ai que veio o resultado, as vilosidades do intestino já estavam atrofiando devido a doença celíaca.
Aqui no blog mesmo, explico com detalhes o que é a doença celíaca, quais os outros sintomas e qual o tratamento. Se quiserem ler é só clicar AQUI.
Bom, com o diagóstico na mão, é hora de recomeçar...
No começo nos desesperamos, porque pensamos o seguinte, ela já é ruim para comer, agora vamos ter que tirar o pouco que ela ainda come, que é pãezinhos, bolos, pizzas... ai mesmo que ela vai emagrecer.
Mas erguemos nossa cabeça, afinal chorar não ia ajudar nossa filha. Começamos a estudar sobre a doença, a gastro nos disponibilizou um CD explicando sobre a doença, começamos a pesquisar na internet, entramos para grupos no facebook, para que tivéssemos mais informações sobre a doença, "perdemos" noites e noites lendo, e metemos a "mão na massa".
Era hora de aprender uma nova maneira de viver, modificamos toda nossa cozinha, afinal não podemos armazenar produtos com e sem glúten no mesmo armário, nem prepará-los num mesmo momento.
Resolvemos então, para facilitar nossa vida, retirar totalmente o glúten de nossa casa, eu e meu esposo decidimos entrar na dieta sem glúten também, não somos celíacos, pelo menos até o momento os exames deram negativo, mas qual pai e mãe consegue comer algo na frente de seu filho, sendo que ele gosta e não pode comer?
Bom, pelo menos nós não conseguimos.
Começaram então nossas buscas por receitas que pudessem ser feitas para nossa princesa, foram muitas receitas jogadas inteiras no lixo, porque não tinham condições de serem consumidas. Mas não desistimos, passei a dedicar meu tempo só a isso.
Aos poucos, com dicas de pessoas celíacas, que já estavam a mais tempo que nós nesta vida sem glúten, fomos nos adaptando e conseguindo melhores resultados nas receitas.
E hoje, 29/08/2014, menos de um ano de dieta, os resultados são excelentes, nossa filha, adquiriu 4,200k neste tempo de dieta, e cresceu 3 cm, o que é considerado uma vitória para a gente.
Cresceu, ganhou peso e com saúde 100%.
Estamos muito contente com o resultado, no começo foi dificil, até nos adaptarmos foi cansativo. Mas hoje não deixamos de fazer nada do que fazíamos antes, comemos pizzas, bolos, pães, tudo adaptado para ser sem glúten.
Vamos em festinhas, eventos em geral, sempre levando com a gente a marmitinha com lanchinho glúten free. Falando nisso, dêem uma olhadinha na marmitinha que compramos para nossa filha, é só clicar AQUI.
É fácil? Não. Não é fácil, mas também não é impossível. Aprendemos que nossa felicidade não pode depender do que podemos ou não comermos. Não podemos comer tais alimentos? Mas podemos comer outros.
Algumas pessoas nos perguntam como é viver assim com restrições, e ai nós respondemos..."bom, olhando para trás, vejo que vivíamos com mais restrições antes da dieta do que hoje, então... somos felizes"
Olhar nossa filha se desenvolvendo de uma maneira normal, tendo apetite quando senta a mesa, as vezes até me surpreendo, rsrs, porque hoje ela come de tudo, ver em como ela está mais feliz, mais disposta, pois antes ela era uma criança deprimida, sempre quietinha nos cantos, indo ao banheiro normalmente, pois antes ela sofria com constipação intestinal, ver que hoje ela vive feliz e saudável, isso não tem preço.
Como disse acima, fácil não foi, afinal nenhum processo de adaptação é, seja la em qual sentido da vida for, mas ver nossa filha mais feliz e saudável hoje, faz valer a pena cada esforço.
Por isso, resolvemos criar o blog, para compartilhar as nossas experiências de uma vida sem glúten, com aqueles que estão chegando agora e se sentem tão perdidos como nós nos sentimos um dia.
Estamos dispostos a ajudar, qualquer coisa entre em contato.
Abraços!