Páginas

A doença celíaca é causada pela intolerância ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio, malte e seus derivados, provocando dificuldade do organismo de absorver os nutrientes dos alimentos, vitaminas, sais minerais e água.
A ingestão de alimentos com este tipo de proteína pelos celíacos se torna tóxica e provoca lesão no intestino delgado.

Veja a mucosa do intestino delgado com as vilosidades atrofiadas pelo glúten.


Compare com a mucosa do intestino delgado com as vilosidades normais.


Sintomas de Doença celíaca
O quadro clínico da doença se manifesta com ou sem sintomas.
Os principais são: Diarréia com perda de gordura nas fezes, fortes dores no estômago, vômito, perda de peso e baixa estatura, inchaço nas pernas, anemias, fadigas, alterações na pele, fraqueza das unhas, queda de pelos, infertilidade, alterações do ciclo menstrual e sinais de desnutrição e também pode vir a desenvolver câncer de intestino.

Diagnóstico de Doença celíaca
O diagnóstico da doença celíaca é feito pelo médico ao verificar os sintomas que o indivíduo apresenta e é baseado nos exames de sangue e na biópsia do intestino delgado através de uma endoscopia digestiva alta. Normalmente se manifesta em crianças com até um ano de idade, quando começam a ingerir alimentos que contenham glúten ou seus derivados. A demora no diagnóstico leva a deficiências no desenvolvimento da criança. Em alguns casos se manifesta somente na idade adulta, dependendo do grau de intolerância ao glúten, afetando homens e mulheres.
A pessoa já nasce com a prédisposição genética para desenvolver a doença, porém não se sabe em que momento irá manifestá-la. Não há até o momento, medidas conhecidas que retardem os sintomas.

Tratamento de Doença Celíaca
O principal tratamento é a dieta com total ausência de glúten; quando a proteína é excluída da alimentação os sintomas desaparecem. A maior dificuldade para os pacientes é conviver com as restrições impostas pelos novos hábitos alimentares. O glúten não desaparece quando os alimentos são assados ou cozidos e por isso a dieta deve ser seguida a risca. A doença celíaca não tem cura, por isso, a dieta deve ser seguida rigorosamente pelo resto da vida.

Que outros cuidados os celíacos devem ter?
Deve-se tomar cuidado com a contaminação dos alimentos com glúten, pois, sabem-se que mesmo traços do glúten podem desencadear os sintomas. Em casa, deve-se separar os alimentos que contém glúten dos que não contém.
Lembrar que, sem proceder limpeza adequada, utensílios utilizados para manuseio e preparação de produtos com glúten, poderão contaminar alimentos sem glúten.
Recomenda-se que alimentos  geralmente consumidos com pães (geléias, margarinas, maioneses, etc...)
também sejam de uso exclusivo do paciente celíaco.
Somente compre produtos feitos em padarias ou supermercados que tenham local separado para a produção de alimentos sem glúten, por causa da contaminação.
Não reutilize o óleo de frituras de alimentos que contenham glúten, pois ele já está contaminado. Não coloque no forno ao mesmo tempo alimentos com e sem glúten.
Luvas cirúrgicas e preservativos, podem conter glúten na embalagem, qualquer dúvida entre em contato com o fabricante.
E alguns medicamentos podem conter também glúten, leia a embalagem ou entre em contato com o fabricante.
Aos católicos é sugerida a comunhão através do vinho já que a hóstia contém glúten

ATENÇÃO AOS RÓTULOS DOS PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS
A LEI FEDERAL Nº10674 DE 2003, DETERMINA QUE TODAS AS EMPRESAS QUE PRODUZEM ALIMENTOS, PRECISAM INFORMAR OBRIGATORIAMENTE EM SEUS RÓTULOS, SE AQUELE PRODUTO "CONTÉM GLÚTEN" OU "NÃO CONTÉM GLÚTEN"